lapide.jpg

.......ACONTECEU.....E AGORA????

 

INVENTÁRIOS E ARROLAMENTOS

 

A perda de um ente querido, de forma esperada e muitas vezes inesperada, nos põe em uma situação delicada e cheia de incertezas.

 

Temos que juntar o ressentimento, a saudade e o sofrimento com a razão, pois a Lei determina que seja processado o INVENTÁRIO ( quando há herdeiros menores) ou ARROLAMENTO ( quando os herdeiros são maiores ) num prazo curto,e  caso este prazo não for obedecido, pesadas multas são cobradas sobre o "monte" a ser partilhado.

 

Neste ramo do Direito o advogado é o porta voz do " de cujus"( falecido) quando este deixa um testamento ou declaração de última vontade, ou a vontade dos herdeiros.

 

Este processo é inevitável e ncessário em qualquer dos casos, pois o direito hereditário deve ser obedecido, para que os bens ( monte) deixado pelo falecido seja transferido por herança aos seus herdeiros necessários ou não.

 

Somos especialista neste ramo, principalmente quando há bens imóveis, pois, qualquer erro ou omissão no processamento pode interferir no registro desta "transferência" de titularidade dos bens.

 

Mais uma vez cabe aqui o popular ditado:

 

"QUEM TEM DOCUMENTO MAS NÃO REGISTRA, NÃO É DONO"

 

PENSE NISSO E FAÇA UMA CONSULTA SEM COMPROMISSO.